4 de novembro de 2017

Saúde de Ribeirão Pires recebe oito profissionais do Mais Médicos

O médico jordanense Manoel Araújo (á direita) compõe o grupo de profissionais.
Nesta segunda-feira, dia 30, equipes da Secretaria de Saúde e Higiene da Prefeitura de Ribeirão Pires participaram de reunião que marcou a apresentação de oito novos médicos que chegam à rede municipal pelo programa federal Mais Médicos. Os profissionais, todos brasileiros, são generalistas e irão integrar equipes da Atenção Básica. Desde a última segunda-feira, dia 23, as Unidades Básicas de Saúde da Quarta Divisão, Guanabara, Ouro Fino, Jardim Caçula, Jardim Luso e Santa Luzia contam com o reforço médico.
Os profissionais substituem outros oito médicos do programa que tiveram período de contrato encerrado. No total, a rede municipal de saúde de Ribeirão Pires possui 15 profissionais do programa Mais Médicos. Oito UBSs da cidade contam com médicos do programa – apenas as UBSs do Centro e do Centro Alto não contam com esses profissionais.
 “Este é um importante reforço para o atendimento à população que contribui em nossas ações de reestruturação da Atenção Básica, na constituição de uma rede integrada de atendimento, na ampliação da cobertura do Programa de Saúde da Família, no fortalecimento de vínculos entre pacientes e Unidade Básica de Saúde, além de reforçar a estratégia de saúde preventiva que estamos desenvolvendo desde o início deste ano”, avaliou a secretária de Saúde e Higiene de Ribeirão Pires, Patrícia Freitas.
O vice-prefeito da cidade, Gabriel Roncon, participou da reunião e deu as boas-vindas aos novos profissionais. “A saúde de Ribeirão Pires esteve em péssimo estado nos últimos anos. Um dos exemplos disso é que gestantes podiam ter seus bebês na maternidade municipal apenas às quartas-feiras. Nós priorizamos a saúde, que é a principal demanda da população, e acredito que cada um de vocês, junto a equipe de enfermeiros, técnicos, além do corpo administrativo, farão grande diferença para acolher os pacientes, conhecer suas necessidades e oferecer atendimento de qualidade”, declarou.
Entre os novos médicos está Istenes Silva da Fonseca, natural do Acre e formado em medicina na Bolívia. O profissional conheceu Ribeirão Pires durante cursos de medicina que fez em São Paulo e, por gostar da cidade, fez a opção para atuar na Estância. “Tenho boas expectativas em relação ao trabalho em Ribeirão Pires, de desenvolver trabalho produtivo com os pacientes. Vejo que a região em que irei atuar tem moradores em situação de vulnerabilidade social. Por essa razão, considero importante o acompanhamento próximo, em visitas domiciliares, e também o desempenho de atividades voltadas à prevenção de doenças”, explicou o médico, que irá atuar na UBS do Jardim Guanabara.
Fonte: Abcdoabc

No interior do AC, time viaja quase 15h dentro da floresta para jogar futebol


Longe dos grandes centros de futebol, a batalha do Esporte Clube Restauração ocorre bem antes da partida começar. Em uma comunidade às margens do Rio Tejo, em Marechal Thaumaturgo, no interior do Acre, anualmente, no mês de outubro, o time enfrenta quase 15 horas de viagem para participar de um torneio em Jordão, cidade vizinha, a 462 km da capital, Rio Branco. No percurso, seis horas em canoas motorizadas e depois uma caminhada noturna de oito horas dentro da floresta.
Sem estradas, o acesso é difícil. Com terçados, os participantes abrem a estreita trilha. Os obstáculos aparecem ao longo do antigo caminho. Solo instável, animais peçonhentos, insetos, onças e outros animais silvestres, além de uma vasta e alta vegetação amazônica atravessam o mesmo varadouro, criado por seringueiros para a extração do látex no período áureo da borracha. Mas ao chegar no destino final, o cansaço logo é deixado de lado, e tudo vira uma grande festa entre as duas comunidades.
De uniforme vermelho, jogadores da Vila Restauração marcam presença no Novenário de São Francisco de Assis e tornam-se heróis do futebol, em uma das regiões mais remotas do Acre (Foto: Juan Diaz/arquivo pessoal
De uniforme vermelho, 45 jogadores da Vila Restauração marcam presença no Novenário de São Francisco de Assis e tornam-se heróis do futebol no no estádio Joca Melo, em uma das regiões mais remotas do Acre. A equipe se divide em dois times, um juvenil e um master e conta com atletas indígenas, da etnia Kuntanauwa. Antônio Gomes Júnior, 33 anos, técnico há oito, explica que a tradicional disputa ocorre há de mais de 30 anos e é passada de geração para geração. Em agosto de 2018, o selecionado do Jordão faz o percurso contrário. Na festa de comemoração a São Raimundo, padroeiro da Vila Restauração, a equipe retribui a visita e realiza o ‘duelo da volta’.
- O futebol foi a forma que nossos pais e tios encontraram de aproximar, de reencontrar as pessoas que gostamos. É uma tradição de muitos anos, que lutamos para manter. Temos muitos amigos lá e eles também têm amigos de verdade aqui. Estamos sempre de braços abertos para recebê-los. E para jogar também. Respiramos esporte! Algumas pessoas dão a vida por ele, e nós também, como aconteceu com nosso amigo - conta.
Entusiasmada, a torcida acompanha a partida no estádio de Jordão (Foto: Juan Diaz/arquivo pessoal)
Nesta edição do tradicional torneio, o Restauração venceu pela primeira vez, mas nem só de alegria foi a participação dos atletas. Um dos jogadores faleceu após a ‘expedição’, em um hospital do Jordão. Segundo o treinador Junior, a causa da morte ainda não foi esclarecida, mas ele passou mal ainda no percurso. O título foi dedicado ao amigo que partiu e apesar da dor da perda, da ausência de troféus ou medalhas, o time cumpriu mais uma vez sua missão e já aguarda ansioso pelo próximo encontro, que tem data marcada. Em agosto de 2018, o selecionado do Jordão faz o percurso contrário. Na festa de comemoração a São Raimundo Nonato, padroeiro da Vila Restauração, a equipe retribui a visita e realiza o ‘duelo da volta’.
- Sempre é assim, nós vamos até lá no novenário de São Francisco, em outubro, e em agosto eles vêm jogar aqui, na festa de São Raimundo. Este ano ganhamos, agora vamos ver na volta (risos). É um grande prazer, uma felicidade imensa. Passamos o ano aguardando esse reencontro - comemora.
Mesmo com o cansaço, o jogo é pra valer e as duas equipes se empenham em busca da vitória (Foto: Juan Diaz/arquivo pessoal)
Movidos pelo futebol, pela fé e pela integração, torcedores e times atravessam o longo varadouro que os separam, para jogar bola e prestigiar os novenários. As 28h, de ida e volta na dura viagem ficam para trás e apenas os gritos de gol da torcida entusiasmada ficam na lembrança do time, de acordo com Junior. O esporte diminui a distância geográfica.
- É uma forma de nos aproximar, independente da distância. Não há etnias, cor, sobrenome, nem religião. Nessa hora somos todos companheiros e vamos manter essa tradição, essa experiência. Todo esforço vale a pena. É uma lição de vida – conclui o técnico.

Nathacha Albuquerque, Rio Branco, AC – Globo Esporte

13 de outubro de 2017

JORDÃO: Botija de gás de 13 kg poderá custar acima de R$ 110

Os consumidores jordanenses pagarão em uma carga de gás o equivalente a 11.7% do salário mínimo vigente no País. O preço está sujeito a aumentos (Foto: Reprodução/ Google)
O gás de cozinha está em falta nos dois pontos de revenda autorizada do município de Jordão, interior do Acre. A informação foi confirmada pelo radialista Mauro Brito, que também é consumidor e está aguardando a chegada do produto.
"Há oito dias que um barco saiu de Tarauacá e ainda não chegou em nossa cidade. A previsão, segundo informações do comércio é de que a unidade será comercializada ao preço de R$ 110", confirmou.
De Tarauacá, município vizinho, embarcações seguem viagem com destino à terra da banana, transportando as botijas de 13 kg. No período de verão amazônico, os niveis dos rios baixam e os transportadores encontram maiores dificuldades no trajeto.
Ainda segundo Brito, se o nível do rio baixar os comerciantes precisarão enviar outras embarcações para garantir a chegada do gás até o município e, dessa maneira, os preços estão sujeitos a subir além do previsto.
Kezio Araújo, Blog Fala Jordão.

25 de maio de 2017

Governo investe quase R$ 1 milhão em saneamento nas aldeias indígenas do Jordão

Ação contempla até 32 aldeias e beneficia quase três mil pessoas nas terras indígenas do Alto e Baixo Rio Jordão (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
O governador Tião Viana, acompanhado pelo senador Jorge Viana e parlamentares da base de governo, esteve nesta sexta-feira, 19, nas terras indígenas do Alto e Baixo Rio Jordão, especificamente na aldeia São Joaquim, em Jordão, para anunciar investimentos de mais de R$ 1 milhão em saneamento básico e abastecimento de água que contemplam mais de três mil indígenas.
Serão beneficiadas 386 famílias, com ações que incluem a implantação de reservatórios de água, redes de distribuição, ligações domiciliares, kits de bomba com placas solares e motobombas tradicionais.
Uma equipe técnica do Departamento Estadual de Água e Saneamento (Depasa) está no local se reunindo com as lideranças indígenas de 32 aldeias, que serão alcançadas com o programa de abastecimento de água.
“Este trabalho que fazemos aqui tem um grande significado, pois água tratada reduz diversas doenças. Nós fazemos isso para proteger a vida de vocês”, disse Tião Viana, destacando os investimentos do governo na educação indígena.
Foram anunciados a implantação de duas turmas de ensino médio no São Joaquim e outros investimentos como os R$ 14 milhões destinados à produção sustentável.
O assessor especial indígena Zezinho Kaxinawa disse que as terras indígenas do Alto e Baixo Rio Jordão e o Seringal Independência reúnem aproximadamente quatro mil Huni Kuins, que serão beneficiados com essas melhorias.
“São investimentos que vão melhorar a qualidade de vida das pessoas e reduzir em até 80% a mortalidade infantil, causada por doenças relacionadas à água. O Acre é o único estado brasileiro onde o governo estabelece essa relação com as comunidades indígenas”, afirmou Kaxinawa.
O senador Jorge Viana lembrou os esforços dos últimos governos em prol das populações indígenas acreanas. “Quando começamos nossa luta, tínhamos em torno de dez mil índios no Acre. Hoje temos cerca de vinte mil, por isso é importante fazer escolas, investir em saneamento e em melhorias para as comunidades. Este governo vai deixar sua marca em todas as aldeias do Acre, pois está mudando a vida dos povos indígenas criando condições e melhorias”, afirmou o senador.
Ação inovadora
Para o diretor do Depasa, Edvaldo Magalhães, essa experiência nas aldeias é verdadeiramente nova. “É o abastecimento de água em municípios isolados e em áreas mais isoladas ainda. Estaremos em 32 aldeias para fazer cacimbão, incluir bomba e construir uma rede de abastecimento para cada uma das residências de modo permanente”, contou o gestor.
A liderança Huni Kuin da Aldeia São Joaquim, Osvaldo Mateus Isaká, disse que para a comunidade o momento é de gratidão e felicidade. “Nós nos sentimos muito felizes de receber o saneamento básico. Precisamos muito disso para vivermos em tranquilidade com nossas famílias. São só notícias boas. Permanecemos unidos e agradecidos por esses benefícios”, disse a liderança.
Mais dez escolas indígenas para a comunidade
O vice-prefeito de Jordão, Ademir Figueiredo, comemorou o anúncio feito pelo governo e aproveitou para assinar o documento que autoriza a reforma e construção de mais dez escolas indígenas no Jordão.
“Aqui são muitos investimentos. Estamos fechando o programa Luz Para Todos e vamos montar o grupo gerador da comunidade Boa Vista, um investimento de quase R$ 50 mil. E agora assinamos a ordem de serviço para a construção e reforma de dez escolas indígenas aqui no Jordao”, anunciou.
O que disseram:
“Agradecemos ao governo por buscar essas melhorias e indicar esses projetos nas nossas aldeias. Tínhamos esse sonho desde o ano 2000 e hoje ele se torna uma realidade para estas 32 lideranças indígenas.” – vereador de Jordão Fernando Barbosa.
“Obrigada ao governo por esta ação e por trabalhar em prol das melhorias nas terras indígenas, concedendo ações que nunca antes estas populações haviam recebido. São políticas de desenvolvimento importantes. Em outubro vamos iniciar ainda a construção dos kupixawas [casas de rituais] nas aldeias.” – deputado estadual Jenilson Leite.
“Agora o governo traz um investimento grandioso que é a água para estas aldeias. Um investimento feito com carinho para o povo. É água tratada na torneira todos os dias.” – presidente da Assembleia Legislativa do Acre, deputado estadual Ney Amorim.
Ana Paula Pojo – Agencia de Noticias do Acre

20 de abril de 2017

Estátua viva faz sucesso com crianças e adultos no Acre

Dutra começou a interpretar a estátua viva há 13 anos e já percorreu vários estados brasileiros fazendo apresentações (Foto: Kezio Araujo)
A estátua viva do “anjo mensageiro” – personagem representado pelo artista de rua Robson Dutra, de 29 anos, – é uma das principais atrações para crianças e adultos que caminham no Calçadão da Benjamin Constant, em Rio Branco. O artista é natural de Ariquemes (RO), onde cursou teatro e descobriu o amor pelas artes.
As pessoas que oferecem moedas são recompensadas com uma performance de movimentos robotizados e mensagens motivacionais impressas em papel. Dutra começou a interpretar a estátua viva há 13 anos e já percorreu vários estados brasileiros fazendo apresentações.
A estudante Andréia Lima se divertiu ao conhecer o personagem. Ela fez tentativas frustradas de provocar reações do anjo mensageiro. “Tentei fazê-lo rir com várias brincadeiras, mas ele não reagiu a nada e permaneceu imóvel até eu dar a moeda. Gostei da atitude dele”, disse ela, considerando um bonito trabalho.
Arte bem recebida
Ele atua também como palhaço, humorista e faz artes com balão em festas de aniversário. Conheceu o Acre em 2009 fazendo trabalhos periódicos em datas festivas. “Eu me apresentava durante a Expoacre e festas de final de ano. Percebi uma boa aceitação por parte do público e vim várias vezes”, relatou.

Com boa receptividade nos espaços públicos de Rio Branco, cinco anos depois resolveu mudar-se com a família para a capital acreana. “Sou o único a fazer esse trabalho no Acre. Esse é um dos fatores para minha decisão de morar aqui”, justificou.
Kezio Araujo e Cleilton Pessoa, do Jirau de Noticias

Jordanenses farão viagem de barco com duração de até seis dias para realizar o concurso da Polícia Militar

Foto: Hiago Viana
Cerca de 25 jovens de Jordão, município localizado no interior do Estado, farão uma viagem de barco até à cidade de Tarauacá para realizar a prova do concurso público da polícia militar. Eles sairam nesta terça-feira (18) e deverão chegar ao município vizinho depois de amanhã. A prova será aplicada no próximo domingo, 23.
A cada certame estadual ou federal jovens dos municípios isolados do Acre vivem o que podemos chamar de odisseia por um emprego público efetivo. No caso dos jordanenses, contando os dias percorridos da descida e subida a viagem pode durar até seis dias, dependo das condições de navegação do rio Tarauacá. Isso, não inclui os dias que ficarão hospedado na cidade vizinha aguardando a realização da prova.
Só é possível chegar ao município de Jordão, por meio de aeronaves de pequeno porte ou barco. A cidade mais próxima é Tarauacá. Antes de obter a emancipação política a Vila Jordão pertencia ao município que recebe o nome do rio que banha as duas cidades.
Incentivado pelos vereadores da cidade, os jovens formaram um grupo de estudo, entretanto, faltava o material de estudo e o espaço que coubesse todos num mesmo lugar. Procurado pela jovem Andreia Oliveira, uma das postulantes ao cargo de aluna soldado, o deputado estadual Jenilson Leite (PCdoB) contribuiu com o material e equipamentos necessário para que eles pudessem estudar. O espaço foi cedido pelo secretário de Educação, Raimundo Vieira.
O combustível para a viagem está sendo patrocinado pela prefeitura de Jordão e a Câmara de vereadores. A alimentação está sendo custeada pelo gabinete do deputado Jenilson Leite. 
Jenilson Leite disse que está na torcida pelos jovens da cidade, e desejou boa sorte a todos. “Estou na torcida para que os jovens jordanenses obtenha êxito”.
Por Leandro Matthaus

29 de março de 2017

JORDÃO: Município começa usar o novo sistema de leitura e impressão de conta de energia

Francisco Otaviano dá Silva Martins, leiturista da Control Construções
Após 24 anos, o município de Jordão-Acre, dispõe pela primeira vez do novo serviço da Eletrobras - Distribuidora/Acre, para o faturamento do consumo de energia elétrica, que consiste na leitura, impressão e entrega simultâneas da fatura. Agora, o funcionário da empresa contratada para realizar o serviço (control Construções), que for medir o consumo de energia irá imprimir a fatura na hora. Com isso, empresa pretende agilizar processo de cobrança, além de evitar problemas de atraso na entrega das faturas e extravios.

Anteriormente, o faturamento do consumo era anotado em um rol de leitura e enviado ao município de Tarauacá para que fosse realizada a leitura. A partir daí as faturas eram enviada aos consumidores do município, o que demorava muito tempo fazendo com que muitas vezes as faturas chegassem ao destino após a data de vencimento.

Para fazer a coleta do consumo do cliente, os leituristas irão utilizar uma espécie de palm, conhecidos como PDA (personal digital assistant), e uma impressora térmica (semelhante à utilizada em máquinas de pagamento de cartão).
Blog do Accioly

24 de março de 2017

INSS realiza mutirão para atendimento em municípios isolados no Acre

O senador Sérgio Petecão (PSD) participou, nessa segunda-feira (20), de cerimônia no auditório da Assembleia Legislativa do Acre com presidente do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), Leonardo Gadelha, onde foi anunciado o mutirão de atendimento do INSS em cinco municípios isolados. A iniciativa foi realizada a pedido de Sérgio Petecão e do deputado Moises Diniz para que moradores de Jordão, Santa Rosa, Marechal Thaumaturgo, Porto Walter e Manoel Urbano tenham acesso aos serviços de concessão, atualização e revisão de seus benefícios com mais comodidade e rapidez.
O mutirão estará em Manoel Urbano entre os dias 3 e 14 de abril; Jordão de 24 de abril a 6 de maio; Santa Rosa do Purus de 15 a 26 de maio; Marechal Thaumaturgo de 5 a 14 de junho; e Porto Walter de 19 de junho a 01 de julho.
Em audiências com ministros e autoridades do governo federal, é costume de Sérgio Petecão destacar a importância de as instituições enviarem representantes aos estados. “Uma coisa é tomarmos decisões lá de Brasília. Outra coisa é trazermos as autoridades para o nosso Estado a fim de que possam ver a real situação que enfrentamos”, disse o senador. 
Petecão afirmou ainda que a visita dos representantes federais aos estados representa respeito das instituições para com o cidadão.
De acordo com o senador, a população deve estar bem esclarecida e atendida a respeito dos seus direitos de aposentadoria, pensão e outros benefícios. O mutirão é uma forma de contribuir, em especial, na solução do transtorno enfrentado por cidadãos que precisam se locomover a agências em outras cidades em busca de atendimento e com o agendamento.
Assessoria

15 de março de 2017

Justiça do Acre decide em liminar por continuidade de concurso da PM

 
SECOM/AC - Em mais uma decisão liminar divulgada pelo Tribunal de Justiça do Acre no final da manhã desta terça-feira, 14, o relator do processo, desembargador Pedro Ranzi, entende que a decisão da conselheira do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Naluh Gouveia, a respeito do concurso para contratação de novos policiais militares, também extrapola a competência constitucional da instituição.

Diante da decisão liminar, o desembargador Pedro Ranzi autoriza a manutenção do concurso público para a contratação de novos policiais militares. A Procuradoria Geral do Estado (PGE) continua trabalhando para suspender a decisão cautelar da conselheira Naluh Gouvêia, que retira os efeitos das leis complementares 329, 330 e 331, que asseguram aumento da remuneração dos servidores da Saúde, Educação e Polícia Militar.

JORDÃO: Sanderson Moura convida a população para o lançamento do seu terceiro livro

"Oratória com Filosofia: no júri, na advocacia, na vida" é o título do terceiro livro escrito pelo advogado criminalista Sanderson Moura. O lançamento ocorre no dia 22 de março, às 19h30, no auditório do Centro de Cultura e Florestania, em Jordão.
Na ocasião, os exemplares serão autografados pelo autor. O livro pode ser adquirido ao preço de R$ 30.
A obra, de 245 páginas, é composta por 380 textos curtos, onde o autor cita mais de 150 livros e diversos mestres da arte de falar bem, filósofos e líderes, desde a antiguidade clássica até os dias atuais do advogado.

8 de março de 2017

Feliz Dia Internacional da Mulher


Família vende rifas e quer arrecadar R$ 54 mil para cirurgia de bebê

Pequeno Eduardo precisa de uma cirurgia e família faz rifa para arrecadar R$ 54 mil (Foto: Reprodução/Facebook)
A família do pequeno Eduardo, de apenas nove meses, decidiu vender rifas de um celular para arrecadar R$ 54 mil para uma cirurgia no bebê em São Paulo. A estudante Letícia Lopes Souza, mãe da criança, conta que ele nasceu com uma malformação no uréter, o que causa refluxo e a urina acaba voltando para os rins. Em decorrência do problema, o bebê sofre com constantes infecções e toma antibióticos diariamente. As rifas são vendidas por R$ 5.
Letícia relata que durante a gravidez entrou em trabalho de parto prematuro e precisou ir para Porto Velho (RO). Após uma ultrassom, foi detectado que Eduardo tinha um dilatação nos rins e na bexiga, mas somente após o nascimento a gravidade da malformação poderia ser verificada.
Com apenas oito dias de vida, Eduardo teve uma septicemia - infecção generalizada - e passou 15 dias internado.
Quando saiu do hospital em Porto Velho, o bebê foi encaminhados para Curitiba, onde passou por uma ureterostomia. A barriga dele foi aberta e o uréter retirado para que a urina saísse. O procedimento foi necessário após a descoberta de que o pequeno tinha refluxo vesico ureteral - quando a urina volta para os rins e causa a infecção - mas, após a cirurgia, as infecções continuaram e Eduardo precisa passar por uma nefrectomia.
"O objetivo da cirurgia era justamente aliviar o refluxo para que ele parasse de ter as infecções. O problema permanece, mesmo saindo xixi por dois lugares ainda não aliviou o suficiente. Como ele toma antibiótico todos os dias e as infecções continuam, os remédios estão se tornando resistente e até tentamos internar, mas ele é muito difícil de acesso de veia e não conseguiu ficar todo o tratamento", relata.
Após novos exames, foi detectado que o bebê tem uma duplicidade pieloureteral. A mãe explica que ao invés de ter um uréter em cada um dos rins para levar a urina até a bexiga, o filho possui dois em cada rim. As constantes infecções acabaram causando uma lesão em um dos rins. Por isso, a cirurgia também deve retirar uma parte do órgão para que o restante não seja infeccionado.
"Isso é o que faz a urina voltar para os rins. Como, após a cirurgia, ele não vai ter esse uréter a mais a tendência é acabar o refluxo que causa as infecções e faz ele perder as funções renais", explica.
O procedimento cirúrgico deve ser feito em São Paulo. Porém, como a família ainda não conseguiu o dinheiro, a cirurgia foi pré-agendada para o dia 6 de março. Caso consiga apenas parte do valor, a família pretende viajar e parcelar o restante. Duas pessoas também ofereceram uma rifa para um ensaio fotográfico e um jantar completo em um restaurante de Rio Branco.
"Dependemos disso e também dele não ter nenhuma infecção até a data da cirurgia, pois se estiver doente a operação não vai poder ser feita. Estamos à disposição para qualquer pessoa que queria ajudar, pegar um bloquinho para vender a rifa ou de outra forma. Estamos no aguardo", finaliza.
Quésia Melo, G1